UMA VISITA À CURITIBA – PASSEIOS DIURNOS

Yeyyy post novo!

Uma das melhores coisas em viajar é ter a oportunidade de conhecer gente nova. É compartilhar experiências com pessoas que têm histórias e costumes diferentes dos teus e se abrir para algo que tu não estava acostumado a ver, sentir, ouvir. Nos períodos em que eu morei fora do Brasil conheci muita gente incrível e criei laços de amizade que ultrapassam fronteiras. Tem pessoas que por mais longe que estejam, sempre vão estar no nosso coração. E às vezes bate aquela saudade…

Por isso, nesse último final de semana fui à Curitiba – Capital do Estado do Paraná, visitar as minhas ex roommates que moraram comigo em San Diego no ano passado. Sei que elas estão lendo isso, então quero agradecer publicamente pela maravilhosa hospedagem e parceria de sempre. Vocês são demais, meus amores! Um beijão especial pra tia Gigi. Nos veremos em breve!

Curitiba me chamou a atenção por ser bastante limpa e organizada! O tempo típico de lá é nubladão – dizem que está sempre cinza. Dei sorte por ter feito dias ensolarados, mas mesmo assim sempre aparecia uma nuvenzinha em alguma parte do céu. Vocês vão notar isso nas fotos. Vou contar sobre a viagem em dois posts: esse primeiro será sobre os passeios diurnos e o segundo sobre os passeios noturnos e restaurantes.

Lá vai!

CENTRO DE CURITIBA

Comecei conhecendo as bandas do centro da cidade, principalmente a rua XV de Novembro, uma das mais famosas de Curitiba. A rua é bem florida e também popular pela época de Natal, quando fica super iluminada e acontecem vários eventos, espetáculos e feirinhas. Adorei o centro! Tem  construções históricas lindas e apesar de alguns ambulantes e mendigos na rua, não se compara a sujeira, ao odor e a poluição sonora do Centro de Porto Alegre. Nas fotos mostra a Catedral Metropolitana e um espaço cultural chamado Paço da Liberdade. Na rua XV também achei bem legal o “Bondinho da Leitura“, que é um bonde que tem uma biblioteca infantil dentro.

TRANSPORTE

Para estacionar na rua eles tem placas sinalizando o tempo máximo permitido e é preciso de um Cartão Estacionamento. É uma cartelinha que tu tens que raspar o ano, mês, dia e hora de chegada e colocar no painel do carro para sinalizar o tempo de permanência.

Curitiba também tem um sistema de transporte público mundialmente conhecido como modelo, chamado de Estações Tubo. São estações em que tu já paga a passagem antecipada e aguarda a chegada do ônibus dentro do tubo (a foto ajuda a visualizar melhor). Quando o ônibus chega, as portas do tubo se abrem e tu entra direto no ônibus. Isso evita bastante aquela demora toda para passar na roleta e melhora o fluxo do trânsito.

Se tu precisar pegar mais de um ônibus para chegar no teu destino, na estação tubo tu pega uma vez e pode andar em quantos ônibus quiser. Mas atenção que isso só vale para os ônibus da Estação Tubo.

Eu não cheguei a andar de transporte público, mas ouvi dizer que é bem fácil e eficiente!

PARQUES

A cidade tem muitas praças e parques. Eu adoro isso porque acho que traz uma energia diferente para os lugares – quanto mais natureza, melhor!  Fui a três deles: Jardim Botânico, Parque Tanguá e Parque Barigui. Todos eles são bem grandes e arborizados.

O Jardim Botânico é um dos principais pontos turísticos da cidade. É lindo e bem florido! Tem trilhas, museu, lago, quadras esportivas e uma estufa que abriga plantas com uma arquitetura bem bonita em metal e vidro. Não fiquei muito tempo lá por causa do calor. O tempo estava metade sol, metade nublado, mas mesmo assim muito calor! Tinha muita gente passeando ou deitada curtindo o dia embaixo de uma sombra de árvore.

Este slideshow necessita de JavaScript.

No Parque Barigui tem um lago bem grande e espaço para caminhada em volta, com cerca de 3 km. O pessoal costuma ir mais para praticar exercícios físicos, caminhar, andar de roller, bicicleta, ou simplesmente estender uma canga e ficar lagarteando no sol. O parque estava bem cheio. Eu caminhei quase toda a volta dele, mas o caminho é tão agradável que nem percebi. Ah, e tinha várias capivaras espalhadas pela grama. Muito bonitinhasss!

O Parque Tangui também tem lagos, uma cascata e muito verde. É bonito, mas eu particularmente não achei nada demais. Talvez seja porque o tempo estava mais cinza do que nunca! Credooo…Nada como um solzinho, né gente?

MUSEU

Visitei o Museu Oscar Niemeyer, conhecido como MOM ou Museu do Olho, por ter o formato de um olho, como o próprio nome já diz. Inicialmente ele era um Instituto de Educação e depois foi reformado e passou a ser um museu focado em design, arquitetura e artes visuais. Eu não cheguei a entrar de fato porque tinha que pagar. Confesso que eu não sou das mais entendidas sobre arte. Sou daquelas que olha aquela obra mega abstrata e fica tipo… oi? O que que é isso? Mas pra quem curte é bem interessante.

Quem estava acompanhando nosso Stories viu que tudo foi postado em tempo real. Fica bem melhor de visualizar os lugares. Semana que vem eu conto sobre a noite em Curitiba e os restaurantes que fui. Continuem ligados no Instagram @guriaspelomundo, que sempre tem novidades.

Qualquer dúvida entrem em contato!

Contem conosco

🙂

Anúncios

Um comentário sobre “UMA VISITA À CURITIBA – PASSEIOS DIURNOS

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s